Atualidade/exercícios/textos

Resolução da Vunesp 2015 [ATUALIDADES]

Caros alunos e caras alunas,

Todos nós sabemos que há milhares de cursinhos/instituições que adoram fazer, com mais competência e agilidade, a correção – quase em tempo real – das fases dos vestibulares. Por isso, tentarei fugir, embora seja quase impossível, das possíveis respostas dessas instituições que já divulgaram a correção em seus sites. Procurarei ser mais completo, para que todos tenham plena compreensão dos resultados.

Algumas questões aqui colocadas pertencem a outras disciplinas. Contudo, escreverei a minha resposta pois tratamos deste tema nas aulas de atualidades, ok? Então vamos lá:

Questão 4Resposta: Sim, cada imagem apresenta lados diferentes da mensagem “ame-o ou deixe-o”, muito popular nos anos 70.

A imagem 1 representa um dos lemas utilizados como “propaganda” durante o governo militar (1964-1985). Embora esta mensagem “Brasil: ame-o ou deixe-o” não tenha sido uma criação institucional – do próprio governo militar – a frase foi apropriada pelo regime que passou a espalhá-la como um manifesto ufanista. Esta manifestação era facilmente encontrada colada nos vidros de carros da época, em alusão ao comprometimento de alguns brasileiros para com o Governo. O tom contido na mensagem propõe claramente a escolha – quase maniqueísta: o brasileiro bom deveria amar o Brasil “bom”, o único Brasil possível para o governo – o país do milagre econômico, da ascensão econômica, das grandes obras de infraestrutura, alinhado ao maior país do mundo (EUA) e da integração nacional -, enquanto o brasileiro Mau não teria vez no país, já que não havia maneira de não amar uma nação como esta.

Já a imagem 2 traz, consigo, uma crítica muito interessante ao regime. A charge desenhada por Ziraldo, um dos membros do jornal de oposição ao governo militar O Pasquim, deixa claro a falta de escolha: ou o brasileiro “ama” e continua subserviente a um governo central forte e autoritário, ou será chutado do país – independentemente se o brasileiro ama ou não a nação. Não importava o sentimento, já que a questão em jogo era a autoridade e a falta de escolha de alguns em meio a um governo que censurou, torturou e prendeu inúmeras pessoas.

Estátua de Fernão Dias: originalmente, os Bandeirantes eram maltrapilhos e sem algum asseio, mas são representados de forma imponente, semelhante a representações dos deuses gregos

Os Bandeirantes eram maltrapilhos e sem algum asseio, mas são representados de maneira semelhante aos deuses gregos

 

P.S.: Poderíamos agregar mais informações e conhecimentos à resposta ao considerarmos que, na primeira imagem, o lema “ame-o ou deixe-o” está sobreposta à figura do Bandeirante. Como sabemos, os Bandeirantes têm importância histórica no Brasil e, importância de classe para os paulistas. Além do espírito “empreendedor” nas famosas missões pelo interior e integração do Brasil – uma das principais consequências de uma política de expansão das telecomunicações e de infraestrutura, no geral, no governo militar – o Bandeirante tornou-se a representação na construção simbólica da elite paulista no “pós-café”.

Questão 6Resposta: Um evento internacional do porte da Copa do Mundo de Futebol em 2014 mostrou-nos, empiricamente, como o global e o local estão entrelaçados, graças a assunção de valores contemporâneos da globalização. A começar pela música tema: “We are one” traz, consigo, a mensagem de que todos nós, reunidos em um mesmo lugar, dançando uma mesma música, “somos um só”, demonstrando que todos os países do mundo, não importando os aspectos culturais/identitário que os compõem, estão convidados.

Além disso, podemos citar como fator importante da globalização: a115468527_2GG cobertura midiática de caráter mundial; o fluxo muito intenso de apelo comercial das marcas patrocinadoras – em sua maioria oriundas de países desenvolvidos; a exigência, por parte do comitê organizador, de gramados/ estádios/ organização/ cidades/ leis “padrão Fifa” – exigidas em qualquer país/lugar-, uma maneira de homogeneizar as questões técnicas e estéticas dos locais dos jogos; a utilização, em larga medida do inglês como forma de normatização social entre turistas e residentes locais; participação de países de todos os continentes em um evento do futebol.

Em termos locais, podemos citar como consequências de uma copa do mundo: a melhoria na infraestrutura das cidades; o movimentação financeira para o comércio local; aumento da oferta de empregos, entre tantos outros fatores positivos. Já no grupo das consequências negativas podemos elencar a supervalorização e especulação dos locais próximos à infraestrutura “padrão fifa”, o que faz com que grande parte da população não possa usufruir destas melhorias; “hipervalorização” de alguns produtos durante a Copa do Mundo; desapropriação de pessoas durante as construções; os problemas de transporte público; a aprovação de leis internacionais que demoliram as leis nacionais (Lei Geral da Copa); aumento da violência, entre tantos outros fatores.

Dica: Documentário “A caminho da Copa”

Questão 7

Resposta: A Crimeia, por sua localização estratégica (saída para o Mar Negro), sempre foi alvo de disputas, sobretudo entre Império Otomano e Rússia czarista. Após disputas e guerras civis, a anexação da Crimeia à Russia, em 1878, fez com que a região, com o passar dos tempos, apropriasse-se da cultura russa. O ápice desse processo ocorreu durante o governo de Joseph Stálin (1924-1953), na Velha Ordem Mundial, quando o leste (Donetsk, por exemplo) da Ucrânia – país integrante da União Soviética- e a Crimeia – região diretamente administrada pelo governo de Moscou – tornaram-se importantes cidades industriais, graças aos altos investimentos realizados pelos soviéticos. Além disso, as regiões receberam muitos russos tecnocratas, para o desenvolvimento industrial, e militares russos responsáveis pela manutenção da base militar de Sebastopol (base naval na cidade de Sebastopol), contribuindo para o que chamamos de “russificação” da população.

Em 1954, Nikita Kruschev ordenou que Crimeia passasse a ser uma região autônoma – com legislação própria – ligada à Ucrânia e não-mais ao governo de Moscou. Ou seja, oficialmente, a partir de 54, a Crimeia, embora autônoma, pertence à União ucraniana.

ucrania_mapa_4Com o fim da União Soviética, em 1991, na Nova Ordem Mundial, a Ucrânia passa a ser uma república autônoma e, em consequência, passa a se aproximar de valores “ocidentais” de mundo, dialogando, diretamente, com a União Europeia. A tentativa da Ucrânia de reescrever sua história com princípios ocidentais capitalistas, fere os interesses russos, já que a anexação da Ucrânia à União Europeia poderia causar uma distensão forçada entre Moscou e a Crimeia. A importância da península para os russos, atualmente, extrapola as questões culturais e militares: a região é energiticamente interessante. A Crimeia depende, assim como toda Europa, da energia russa, que chega por dutos e canais, além de depender, em larga escala, dos financiamentos de Moscou, na região.

20140313_crimeia_AFP04

Diante deste cenário, rapidamente, o governo autônomo da Crimeia, manifestou-se favorável aos interesses russos e, mediante a aproximação da Ucrânia da União Europeia, o parlamento instituiu um plebiscito para anexação aos russos.  Com a vitória pró-Rússia, Vladimir Putin, líder do gigante país, assinou a anexação, avançando com suas forças militares para “ocupar e proteger” a Crimeia. Isto gerou protestos internacionais, principalmente sob a alegação de infração à Nova Ordem Mundial, já que a Crimeia não poderia ter sido ocupada pelos russos.

Dica: TV Folha – é antigo, mas é interessante

Se tiverem alguma dúvida, é só comentar aqui no site, ou entrar em contato. Aceito sugestões, críticas, conselhos amorosos… Qualquer coisa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s